Dia dos Pais em outros países

O dia dos pais é comemorado mundialmente, mas as datas não são iguais.

No Brasil, o dia dos pais é comemorado no segundo domingo de agosto. Porém, muitos países celebram o dia nos pais em outras datas.

Confirma abaixo as datas de alguns países

Vatertag – Alemanha: 39 dias depois do domingo de Páscoa
Father’s Day – Estados Unidos e Reino Unido: terceiro domingo de junho
Fête des Pères – França: terceiro domingo de junho
Día de los Padres – Espanha: 19 de março
Festa del Papà – Itália: 19 de março
День отца – Rússia: 23 de fevereiro

Depoimentos de nossos alunos

“Quand j’ai décidé d’étudier une autre langue, je suis arrivée à LECC et j’ai été très bien accueillie. (…) Je suis très contente d’étudier ici et j’ai l’intention de continuer, parce que je me sens partie de la famille”. Priscilla Moraes

 

 

 

“2016 a été ma première année à LECC. Je me suis fait beaucoup d’amis ici, et les cours étaient très intéressants. Tous mes camarades étaient très impliqués, et les classes très riches.

Nous avons lu L’Étranger, d’Albert Camus. C’était mon premier cours de l’année. J’étais très impressionée par la qualité des discussions.

J’ai aimé les cours surtout parce que nous pouvions parler beaucoup sur des thèmes de l’actualité, comme la politique et la culture.

2016 a été une année mémorable!”  Paula Ferraz

 

Páscoa pelo mundo

 

A Páscoa é uma época cheia de tradições e em muitos países não se resume apenas em ovos de chocolate e no famoso coelhinho, mas também em liturgias, procissões, almoços em família e cordeiro. Embora existam elementos em comum, as tradições agregam características de cada cultura e região.
No mundo, existem diferentes simbologias ligadas a essa data. O ovo aparece como representação de fertilidade em diversos países – e nem sempre é de chocolate. Outros símbolos conhecidos são o sino e o coelho.
A Páscoa é comemorada pelos cristãos como a morte e ressurreição de Jesus Cristo, mas já existia muito antes de Cristo, na Antiguidade. Para os judeus, a Páscoa (Pessach) lembra a fuga do povo judaico do Egito, além disso, o ovo, presente em muitas das comemorações, era um símbolo da fertilidade para os egípcios.

Em muitos países, como Alemanha, Áustria e Suíça, há a tradição de pintar ovos cozidos ou cascas dos ovos que são furadas e esvaziadas, e depois de pintados são colocados em árvores e arranjos.
Há lugares que os ovos são unânimes. Em outros, os doces e pães que têm lugar de destaque. O chocolate parece mesmo ser a comida mais importante da Páscoa em todo lugar, até em países de maioria muçulmana, como a Malásia. Já na França a comida típica é o “Gâteau de Pâques” um bolo assado em formato de cordeiro.
A Páscoa é comemorada de diferentes formas ao redor do mundo. Os ovos de galinha cozidos ainda estão presentes em algumas culturas, principalmente nos Estados Unidos e Bulgária. Já na Suécia, as crianças comemoram a data como se fosse o Halloween. Na Bélgica e França os sinos não são tocados entre a Sexta-feira da Paixão e o Domingo de Páscoa por causa de uma lenda que diz que eles voam até Roma e quando voltam deixam cair ovos para todos. No Brasil, é comum presentear os amigos e os familiares com ovos de chocolate.

A Páscoa é uma tradição tipicamente cristã e judaica, no entanto, mesmo em países onde predominam outras culturas, como é o caso da China, a Páscoa também é comemorada.
Contrariamente ao que possamos ser levados a pensar, o coelho não é um símbolo universal e inquestionável da Páscoa. Eles não têm lugar na França, onde quem reina é o peixe – chamado “Poisson d’Avril” (Peixe de Abril) e é praticamente persona non grata na Austrália.

A história de Saint Patrick (São Patrício)

 

St. Patrick, também chamado informalmente de St. Paddy nasceu no século IV, na Grã-Bretanha, com o nome de Maewyn Succat. Seus pais eram muito ricos e influentes e seu pai também foi um diácono cristão. Por volta de seus 16 anos, Maewyn foi sequestrado por irlandeses e forçado a trabalhar como pastor em County Mayo, na Irlanda.
Durante este período como escravo, voltou-se à religião e inspirado por um sonho em que fugia e voltava para a Bretanha, engendrou sua fuga e retorno à terra natal. De volta à Bretanha, teve outro sonho onde um anjo disse-lhe para se tornar um missionário e difundir o Cristianismo na Irlanda. Após o sonho, passou 15 anos estudando religião e preparando-se para tornar-se um sacerdote e assume o nome cristão Patrick após sua ordenação.
Em 432 dC, voltou para a Irlanda e iniciou o processo de conversão dos irlandeses ao cristianismo – até então, a população da Irlanda era politeísta. Tal como os padres jesuítas na América do Sul, criou e lecionou em várias escolas na costa oeste da Irlanda. É durante este período que surge o uso o trevo para explicar a Santíssima Trindade (o pai, o Filho e o Espírito Santo) para o povo irlandês. Depois de quase trinta anos de ensino bem sucedido do cristianismo, morreu em 17 de Março de 461 dC. Logo após sua morte, a Irlanda decidiu lembrar a sua morte com um dia festivo e criou o St. Patrick’s Day, que com o tempo, ganhou o mundo, principalmente para países de língua inglesa, embora países latinos como Argentina também comemorem o dia de São Patrício.

A festa de Saint Patrick (Saint Patrick’s Day)

Originalmente, o dia de Saint Patrick era um dia de banquetes dedicados à lembrança do sacerdote, mas com o tempo, tornou-se uma ocasião religiosa importante, com missas e outras atividades litúrgicas, finalmente passando a fazer parte do calendário cristão na primeira década dos anos 1600.
Como o dia de Saint Patrick ocorre durante a quaresma – período onde os católicos mais vigilantes passam por jejuns e diversas privações em busca da disciplina religiosa -, aos poucos se tornou um dia onde o público poderia aliviar um pouco a disciplina e ceder ao desejo por festas, comida e bebida.

A parada de Saint Patrick

Curiosamente, a famosa parada de Saint Patrick na verdade iniciou-se nos Estados Unidos e não na Irlanda.
Por volta da metade do século XIX, houve um grande fluxo de migração de irlandeses católicos, principalmente para países de influência britânica, em especial para os Estados Unidos. Ao chegar o dia do padroeiro, os irlandeses saíam às ruas para comemorar suas tradições, o que atraiu o preconceito da sociedade americana, majoritariamente protestante e de origem inglesa. A fim de fortalecer seus direitos e manter sua cultura, os irlandeses passaram a se organizar em paradas, conquistando seu espaço na vida e política do país. A influência da comunidade irlandesa é tão forte nos EUA que a maior parada de Saint Patrick do mundo é realizada em Nova York, com aproximadamente 150 mil participantes. Demora cinco horas para que todos percorram 2.5 quilômetros, passando pela famosa Catedral de Saint Patrick na 5a Avenida. A cidade toda recebe decoração verde, desde as roupas, passando pela cerveja até seu prédio mais famoso, o Empire State Building. Este é o único dia em que os bares abrem já pela manhã, e passam o dia cheio.
A ideia passou a se espalhar pelos diversos países com comunidades irlandesas e nos últimos anos, provavelmente devido à globalização econômica e a forte presença da festa na cultura pop, até mesmo países com comunidades irlandesas pequenas, como o Brasil, passaram a comemorar o “feriado irlandês”.
Nos países onde a parada não existe, a festa acontece em pubs irlandeses espalhados pelo país na semana anterior a do dia 17 e trazem atrações que homenageiam a Irlanda, com bandas de música folclórica e tradicional e também de Pop e Rock de bandas contemporâneas irlandesas ou de descendentes de irlandeses.

A festa de Saint Patrick no Brasil

Embora a comunidade irlandesa não seja grande no Brasil, o grande número de pubs irlandeses pelos países, aliado ao gosto do brasileiro por cerveja e festa, tornou possível a comemoração do Saint Patrick’s Day por todo o país.
São Paulo, a metrópole brasileira com vida noturna brasileira mais ativa e variada, tem tantos pubs que hoje é até palco para ações de cervejarias irlandesas; A Guinness, por exemplo, em 2010, promove a Peregrinação Guinness St. Patrick’s Day. Belo Horizonte, Brasília, Rio de Janeiro, Curitiba, Florianópolis e Porto Alegre também possuem um bom número de pubs promovendo festividades na semana do dia 17 de março.

Saint Patrick’s Day e as Cervejas Irlandesas

A Irlanda possui uma grande tradição em cervejas, com estilos variados e característicos, como as Stouts e as Irish Red Ale.
Além da tradicional “Guinness Draught”, que vende 10% de sua produção total no dia de São Patrício, outras cervejas como Beamish Irish Stout, Greene King Wexford, Murphy’s Red Ale, Harp, Smithwick e Guinness Extra Stout, profundamente ligada as festividades do Saint Patrick’s Day.

Conheça as tradições do carnaval alemão

 

O “Fasching”, “Fasnacht” ou “Karneval” constitui uma antiga tradição festejada principalmente na região do Reno e nas regiões católicas da Alemanha. Os baluartes são as cidades de Mainz, Colônia, Düsseldorf e Bonn. Já no sul da Alemanha festeja-se a tradicional alemannische Fasnet. A “quinta estação do ano”, como é conhecido o período, começa em 11 de novembro e termina na Quarta-Feira de Cinzas.

O clímax da extravagante festa é o período que começa na “schmutzigen Donnerstag” (Quinta-Feira Suja) e que vai até a Quarta-feira de Cinzas. Na Segunda-Feira de Carnaval (Rosenmontag), acontecem os grandes desfiles. As pessoas se vestem com fantasias divertidas ou trajes e máscaras tradicionais e vão às festas e desfiles. A tradição remonta aos costumes de espantar o inverno.

Quinta-feira, 11 de fevereiro: Carnaval de Mulheres
Segunda-feira, 15 de fevereiro: Segunda-Feira de Carnaval
Terça-feira, 16 de fevereiro: Terça-Feira Gorda
Quarta-feira, 17 de fevereiro: Quarta-Feira de Cinzas

Fastelovend in Kölle – grito de guerra “Alaaf!”
A palavra Karneval (provavelmente oriunda do latim medieval carnelevare, ou seja, adeus à carne,) é usada para o carnaval na região do Reno. A fundação do “Comitê de Organização“, em 10 de fevereiro de 1823, em Colônia, estabeleceu o carnaval como uma forma autônoma. Na festa, os guardas e dançarinas uniformizados remontam aos guardas municipais da era napoleônica.

O carnaval de Colônia começa, tradicionalmente, em 11 de novembro, às 11 horas e 11 minutos. Os destaques são, além de inúmeras reuniões carnavalescas com discursos divertidos, o carnaval das mulheres na quinta-feira antes da Quarta-Feira de Cinzas; o desfile na segunda de carnaval (o auge do carnaval de rua); bem como a queima do espírito de carnaval, quando são queimadas bonecas de palha em tamanho humano.

Carnaval em Düsseldorf – “Helau!”
Jogos de Cavaleiros da Idade Média e festas à fantasia nas cortes deram origem ao Carnaval de Düsseldorf. O personagem idolatrado é o Hoppeditz, um típico folião. A temporada de festas tem início todos os anos com o despertar do Hoppeditz, em 11/11 às 11h11, em frente à Prefeitura.

O primeiro destaque do carnaval de Düsseldorf acontece no primeiro dia do ano, quando o príncipe e a princesa são coroados. Outros destaques são a noite das mulheres velhas (quando as chamadas “Möhnen” invadem a Prefeitura) e o carnaval de rua no domingo e na segunda-feira. Sinais de que a parada está a caminho! (D’r Zog kütt!).

Os dias loucos – Fassenacht em Meenz
A longa tradição do carnaval de Mainz (Fastnacht) remonta certamente ao século XVI, quando aconteceram as primeiras folias. Já no século XIX, foram fundadas as primeiras corporações carnavalescas, com os objetivos de trazer ordem à colorida e desordenada folia e incrementar uma aparência estética.

A Cooporação Carnavalesca de Mainz sempre foi acompanhada pelos uniformizados Ranzengarde. Na cidade, a “Quinta Estação” também começa em 11 de novembro, às 11h11, com a leitura das 11 leis do carnaval. Outros destaques são o cortejo da Segunda-Feira de Carnaval, o desfile dos jovens mascarados no sábado e as inúmeras reuniões de carnaval, que sempre começam com a troca dos arlequins em 1º de janeiro.

Carnaval da Região de Schwaben – “Narri-Narro!”
O Fasnet suabo-alemânico caracteriza o carnaval no sudoeste da Alemanha e também tem suas raízes nas festas medievais, quando os alimentos perecíveis tinham que ser consumidos antes da Quaresma. No século XIV, acrescentaram-se costumes como danças, desfiles e jogos. Fantasias simples ganharam nítida importância no período barroco no século XVII. Após um desaparecimento temporário durante o Iluminismo, a tradição foi reavivada no início do século XIX.

Para se diferenciar do carnaval dominado pela burguesia da região do Reno optaram-se pelas tradições há muitos anos estabelecidas. A até então limitação do Fasnet em três dias antes da Quarta-Feira de Cinzas foi ampliada no século XIX. O Fastnet começou em muitos lugares no Dia de Reis. Em 1924, finalmente foi fundado o chamado Grêmio da Loucura.

Uma particularidade do Fasnet são os personagens carnavalescos. As máscaras são geralmente feitas de madeira, tecido, papel e até mesmo de arame. Em alguns lugares, é uma tradição passar as máscaras de geração em geração. As mais antigas fantasias são as do diabo e de arlequim. Em 1933, foi fundada uma Corporação de Bruxas em Offenburg, trazendo para o Fastnet um personagem totalmente moderno.

Carnaval na Turíngia – “Woesinge Ahoi!”
Wasungen está situada às margens do Rio Werra ao sul da Turíngia e é tida como uma das cidades com a mais longa tradição de carnaval na Alemanha, supostamente já em 1524. Os foliões de Wasungen conservaram a singularidade de seu carnaval por séculos – aqui não há um casal de príncipes, mas sim um príncipe e dois pagens femininos ao seu lado.

O reinado do príncipe começa no sábado de carnaval e se encerra em 11 de novembro. Destaque epara o desfile muito colorido no sábado antes da Quarta-Feira de Cinzas, conhecido principalmente por sua popularidade conservada até hoje.

 

Fonte: http://www.brasil.diplo.de/Vertretung/brasilien/pt/__pr/DZBrasilia__Artigos/Antigos/DatasnaAlemanha/Carnaval.html